ANÁLISE

Revolta popular e chances de golpe interno ― entenda os protestos na China

Brás Oscar · 30 de Novembro de 2022 às 12:52

Confira a análise sobre os protestos contra Xi e o que pode mudar na geopolítica chinesa

As restrições impostas pela chamada “Política do Covid Zero” na China geraram protestos que se intensificaram desde segunda-feira (28), principalmente após um incêndio que matou 10 pessoas num bloco de apartamentos em Urumqi, capital da região autônoma de Xinjiang Uyghur, no oeste do país.

As manifestações crescentes pedem a renúncia de Xi Jinping, e tentam driblar a censura do regime comunista utilizando-se de expedientes criativos, como cartazes em branco e trocadilhos no idioma mandarim.

Obviamente há uma ferrenha repressão aos manifestantes, mas não é possível descartar que certas alas adversárias de Xi, dentro do próprio Partido Comunista Chinês, vejam neste evento uma oportunidade de impetrar um golpe palaciano.

Outro possível cenário que não podemos ignorar é a cooptação de cidadãos chineses por serviços de inteligência dos Estados Unidos e outras nações aliadas para insuflar a situação e barganhar com alas do governo comunista – mais simpáticas à cooperação com o bloco globalista ocidental – uma mudança na liderança chinesa.

Confira a explicação e análise completa no vídeo exclusivo para assinantes.